A sobreposição da vida virtual por Kamil Kotarba

Há alguns anos era comum ao chegar em um bar ver uma pilha de celulares em cima da mesa e todos eles com os visores voltados para baixo. Era uma espécie de “brincadeira” na tentativa melhorar a socialização na vida real e deixar um pouco a vida virtual de lado. A ideia era que, quem pegasse o celular primeiro antes do fim da noite por qualquer que fosse o motivo, pagava a conta. Me recordo dessa brincadeira ter ganho uma certa popularidade depois que o Neymar publicou uma foto em seu instagram cuja imagem era a, então famosa, torre de mobiles.

Atualmente andar com o celular em mãos, e não no bolso, é um comportamento comum. Quando surge alguma brecha, aproveitamos para dar uma olhada no whatsapp, redes sociais e por aí vai. Se a lacuna não surge, não tem problema. Criamos uma. Desbloquear rapidinho só pra ver se tem alguma notificação e segundos depois repetir o processo. Desbloquear o celular só para bloquear logo em seguida, quem nunca? (confesso que já me flagrei fazendo isso várias vezes). Em uma mesa de bar, no cinema, reunião, a caminho do metrô, enfim, a pessoa está ali fisicamente apenas, mas quem está no comando é o celular.

É justamente neste ponto que o artista Kamil Kotarba aborda brilhantemente em sua série de fotos chamada de Hide & Seek. Kotarba levanta o questionamento de que muitas vezes preferimos nos relacionar virtualmente do que pessoalmente.

 

imagens via fubiz.net

Devido a enxurrada de informações a qual somos submetidos a cada segundo, acabamos por não conseguir focar em tarefas que requerem um pouco mais da nossa atenção. O problema não são as ferramentas tecnológicas, mas sim o uso que fazemos delas.

 

Balla

A criatividade se expressa de diversas maneiras, menos na minha bio.